Comunidade Alian

Clássicos

 

 

 

Leitura obrigatória para aqueles que amam as almas perdidas e desejam aprender a entender os desígnios do maravilhoso Espírito Santo. Mais que os números obtidos no evangelismo impactante ministrado pelo pregador Wilkerson, esta história de mudança radical de vidas é um exemplo a toda a igreja que deseja depender do Espírito e viver pela fé.  A história é real e tem seu desenrolar nas décadas de 1950 e 1960 em Nova York ,  violenta e cheia de gangues. Conta a história surpreendente do pastor do interior do país que resolveu ouvir o chamado de Deus ao ver a foto de um grupo de adolescentes prestes a serem condenados por uma série de crimes.

 

 

 

 

Se já houve um caso duro demais para recuperar, foi Nicky Cruz – líder de um temida quadrilha de delinqüentes juvenis, ladrão e viciado em drogas. Muitos leitores já o conhecem, do livro “A Cruz e o Punhal”; agora ele mesmo conta sua emocionante experiência. É a vida de um jovem que, pelo poder de Deus, abandonou o ódio e a violência para se tornar pregador de grande influência para milhares de outros jovens iguais a ele. Escrito em linguagem livre e espontânea, “Foge, Nicky, Foge!” narra, com realismo, a vida nas favelas americanas, ao mesmo tempo que apresenta a solução para os problemas que os jovens enfrentam. É recomendado para todos os tipos de leitores, mas é leitura necessária para os jovens e seus pais.

 

 

 

 

A extraordinária história de um missionário que elevou a Palavra de Deus para todos os países comunistas, pregando para a igreja clandestina e contrabandeando bíblias para os Cristãos que estavam por detrás da cortina de ferro. O livro conta a história de um dos maiores missionários do Século 20, o “Irmão André”, nome fictício do fundador da missão Portas Abertas, conhecida internacionalmente como Open Doors. No livro pode-se entender o motivo que levou o Irmão André a entrar na lista dos mais procurados da KGB, a polícia secreta da União Soviética.

 

 

 

O autor, que já foi ateu, analisa as evidências que comprovam ser Jesus o Filho de Deus. Josh McDowell que depreciava os crentes considerando-os ignorantes e loucos,  discutia com eles, argumentando contra sua fé. Contudo, veio a descobrir que tais argumentos não tinham consistência. Afinal, chegou à conclusão de que Jesus Cristo realmente era Deus encarnado e acabou por tornar-se um pregador nos meios universitários, desafiando à fé aqueles que eram tão céticos como ele próprio o fora.

 

 

Próxima Página